segunda-feira, 27 de julho de 2015

Heart's a messy

     Eu que achava estar com o coração fechado para novas pessoas, me vi importando, sentindo falta, pensando em ti. Durante minha vida, poucas vezes me vi nessas situações... Não sei se isso é troféu ou espada, se faz rir ou faz chorar, se dá frio na barriga ou dor no peito, se acalma ou desespera. A circunstância certa talvez no momento errado pode custar muito caro, para os dois. Meu medo é de sair ferido, mais uma vez.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Cinzas

     Dessa vez o encontro amargo das bocas não incomodava. Deve ser questão de costume isso de aprender a saborear o amargo; café, boca... 
                                                                                               vida.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Dois

   
      Foi estranho. Depois de nove meses distantes, eu começar com essa nostalgia avassaladora. É estranho você achar que pode ser raso nos sentimentos e de repente se vê transbordando, só que, infelizmente, por uma coisa que já não existe mais. Se vê transbordando por uma coisa que ficou lá atrás, gravada nas fotos naquelas passarelas altas de concreto.



"Queimar a luz 
              e encontrar suas
                           queimaduras ali no 
                                   invisível do negativo."

Pelos Olhos

     Juro que não sei em qual momento da minha vida as lágrimas secaram. Isso pode até parecer metáfora, afinal é bonito falar através delas, mas dessa vez não. Juro que não entendo o fato de nem-uma-maldita-lágrima sair dos meus olhos seja diante de coração ardendo, tristeza batendo, alegria demasiada ou desespero. Isso soa tão superficial, calculista, impessoal... mas não. Aqui dentro tudo acontece, vira e mexe tem furacão e tempestade se formando e devastando tudo. Só que não cai uma gota de chuva.

Pelos olhos.

                                                                             texto de 05.01.2015

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Sobre mensagens enviadas e pessoas caladas

     É horrível ir se fechando  mais ainda. É horrível ter que enviar uma mensagem já esperando que a pessoa possa não te responder. É horrível ter que desaprender a ter uma pessoa fazendo parte da sua rotina. É horrível ter esse sentimento de pé atrás, de não poder esperar nada nem de ninguém. Sem o comprometimento, o que nos resta?

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Vagalumes Cegos

     Separei um minuto pra pensar em você. Pensei. Revivi. Senti. Sorri. Fui deitar, o feriado acabou há alguns minutos e amanhã eu tenho que trabalhar. 

                                                                                           
                             “As paixões, meu amor, são tontas, são tantas.”

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Registro Atrasado de 2013

     Queria deixar aqui registrado para que não se perdesse nas intermináveis páginas do facebook.

     "Fins de ano costumam ser melancólicos por si só e esse não poderia ser diferente; ciclos que se encerram são sempre carregados daquele sabor agridoce, daquele aperto no peito. Tentar escrever qualquer palavra que seja sobre 2013 seria clichê o bastante...
     Este ano deixou muitas marcas - nem todas necessariamente boas - e a essa altura só nos resta a esperança das energias renovadas para encarar essa nova fração de vida que costumam dar o nome de "ano novo". Luz!!"